#Resenha MLI2015: O Que Restou de Mim – As Crônicas Híbridas Livro 01

20150706_150349

Hey pessoas!!

Demorei mais finalmente consegui terminar o primeiro livro da maratona e para eu não me enrolar resolvi logo publicar a resenha, para não dar tempo de esquecer rs. Bom escolhi esse livro para começar a maratona e a semana da temática distopias, fantasias e/ou ficção científica e também para realizar o desafio de ler um livro que eu ganhei, inclusive ganhei em janeiro e não sei porque ainda não tinha lido, porque eu amei a leitura rs.

Sinopse: O Que Restou de Mim – Addie e Eva são híbridas duas almas no mesmo corpo. Em sua realidade, todos nascem assim mas, ainda na infância, uma das almas torna-se dominante. Mas isso nunca acontecia com as duas. Considerados instáveis e perigosos, os híbridos foram perseguidos e eliminados das Américas. E quando o segredo delas é ameaçado, Eva e Addie descobrirão da pior forma que há muito mais sobre os híbridos do que os noticiários de TV e os livros de história contam.

20150709_134851

O livro é bastante intrigante, com enredo que foge dos padrões comuns, onde expõe pontos de vistas variados em relação a sobrevivência, luta e desejo, mas deixando sua mensagem principal bem clara.

Há muito mais a ser dito à respeito de Addie e Eva terem nascido no mesmo corpo, pois em um determinado momento elas deveriam ter se definido, isso é, uma das almas deveria ter se desprendido do corpo ainda na infância. Mas isso se torna muito complicado para as duas, e de algum modo elas conseguem esconder isso da família e das autoridades.

Addie sempre se mostrou dominante, forte e resistente. Eva acabou ficando de lado, escondida, apenas existindo dentro de sua irmã, uma voz ao longe. Mas ela nunca desistiu de lutar. Quando surge a possibilidade de Eva não ser apenas uma voz na cabeça de sua irmã, as duas começam uma batalha entre si, Addie não quer ver a irmã partir, mais também não quer deixar o controle e é ai que as coisas começam a ficar agitadas.

As irmãs decidem arriscar na ‘liberdade’ de Eva. Mas conforme a menina vai progredindo elas vão descobrindo juntas que havia muito mais escondido em baixo dos panos. Os pais, médicos e o governo escondiam muitos segredos sobre o Hibridismo e juntas elas vão descobrir esses segredos e ter que lidar com situações complicadas, e com a vida de outras pessoas estão em jogo e não apenas a tão sonhada liberdade de Eva.

É impossível compreender  o sofrimento de Eva, tanto tempo escondida e esquecida pela família. E eu acho que esse é um dos pontos mais altos do livro, a questão da família, que lida com o esquecimento e a perda de uma das filhas com uma naturalidade fora do comum, como se fosse certo só ficar com uma, como se a outra não importasse e fosse apenas um brinde defeituoso.

20150709_134905

“Uma mesa cheia de crianças fingindo que não sabíamos de nada, fingindo que confiávamos em nossos guardiões. Fingindo que não estávamos com medo”

Não vou dizer que foi um leitura fácil, porque não foi não. Nunca tinha lido algo parecido e tão complexo, foi difícil assimilar essa questão do hibridismo e associar duas pessoas em um só corpo. Mas a leitura flui com muita intensidade, deixando claro para o leitor o objetivo das protagonistas e aos poucos Kat vai dando as respostas que precisamos para montar o quebra-cabeça. Eu fiquei fascinada por essa distopia e não vejo a hora de lançarem logo os outros volumes da trilogia.

Autor(a): Kat Zhang
Editora: Galera Record
Ano: 2014 Páginas: 320
Nota: 4/5
Anúncios

2 comentários em “#Resenha MLI2015: O Que Restou de Mim – As Crônicas Híbridas Livro 01

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s